3 maneiras pelas quais os líderes podem descobrir melhor o que as pessoas desejam

ANÚNCIO

Líderes em todas as esferas da vida, mas especialmente no governo, têm que desempenhar uma série de funções para o povo. Eles têm que fornecer segurança nacional e econômica, manter uma aparência de ordem e proteger os direitos humanos básicos.

Para fazer qualquer uma dessas coisas bem, aqueles que lideram precisam se conectar com aqueles que governam e descobrir o que as pessoas querem em termos de políticas e apoio. Essa não é uma tarefa fácil quando você considera que o governo regulamenta centenas de milhões de pessoas, todas com diferentes formações e experiências.

ANÚNCIO

No entanto, alguns princípios e estratégias-chave podem orientar aqueles que estão no poder para uma liderança e resultados realmente eficazes.

1. Crie canais de feedback para a formulação de políticas participativa e baseada em dados

Como diz o velho ditado, supor transforma você e eu em você-sabe-o-quê. Portanto, qualquer ação governamental precisa ser baseada em mais do que apenas intuição e preconceito. Um governo em qualquer nível precisa de dados reais para orientar o que faz, o que significa que deve gastar recursos para fazer uma escuta social geral e obter feedback consistente.

A coleta de percepções dos constituintes sobre as principais questões políticas pode ser feita com pesquisas tradicionais, entrevistas, prefeituras ou outras estratégias feitas de forma omnicanal. E o que pode funcionar melhor pode depender de vários fatores, como dados demográficos. Mas hoje, ouvir as mídias sociais é especialmente importante.

ANÚNCIO

Ouvir nas mídias sociais não significa apenas colocar comunicações ocasionalmente em sites como o Twitter. Em vez disso, envolve monitorar continuamente o discurso que está sempre acontecendo online sobre vários tópicos em uma visão ampla e macro. Depois de ter boas percepções, a próxima etapa é pegar o feedback e realmente aplicá-lo em termos de mudanças e desenvolvimento de políticas em andamento.

Como um bom exemplo de como isso pode ser eficaz, considere a crise da Covid-19. Em muitos países, como a Itália, os governos têm monitorado contas de mídia social para descobrir se e quando bloquear e reabrir, bem como monitorar o quão bem as pessoas estão obedecendo à quarentena.

2. Torne-se uma plataforma para fornecer serviços integrados

Assim como a tecnologia pode ser uma parte poderosa da infraestrutura de feedback do governo, ela também pode permitir que as pessoas participem do governo e acessem os serviços governamentais com mais facilidade. Por exemplo, os sistemas eletrônicos podem ajudar as pessoas a fazer reivindicações ou registros ou até mesmo votar no conforto de suas casas, eliminando obstáculos como a falta de transporte.

Mas a exclusão digital é um problema real, e muitas comunidades ainda não têm os recursos que garantem a conectividade de “última milha”. Assim, consertar essa lacuna é fundamental para que o governo possa interagir com as pessoas e prover de forma justa. Uma vez que a infraestrutura seja mais equitativa e o acesso mais garantido, o foco pode mudar para a digitalização dos serviços atuais para ir para o governo como uma plataforma.

Mas não é o suficiente para as opções de serviço digital existirem – elas também devem ser flexíveis e transparentes o suficiente para atender às diversas necessidades da comunidade e construir confiança, capacidade de resposta e responsabilidade.

Por exemplo, os governos devem considerar se alguém com deficiência visual ou outra pode usar o site ou se as pessoas podem escolher fazer o download de documentos em um formato de arquivo ou outro. E em um modelo transparente, as pessoas não apenas têm as informações dispostas de forma clara para que possam entendê-las e usá-las, mas também podem enviar e revisar queixas, que não são fáceis de enterrar em formato digital.

3 Ways Leaders Can Better Discover What People Want
Foto: (Reprodução/Internet)

Como um componente principal da infraestrutura de feedback mais ampla, essas seções simples onde as pessoas podem comunicar suas preocupações podem garantir que o governo fique em sintonia com o que as pessoas desejam.

Veja também: A importância de priorizar seu pessoal nos negócios

3. Disponibilizar os dados publicamente

Os membros do governo em uma democracia são semelhantes a um empregado – eles normalmente são “contratados” (eleitos) pelo povo. E como qualquer bom chefe, as pessoas querem, coletivamente, saber o que seus funcionários estão fazendo com seu tempo e pagá-los por contribuírem para resultados reais.

Nesse contexto, um fluxo de dados mais livre significa que o governo e as pessoas podem trabalhar juntos de forma mais eficiente e colaborativa, compartilhando e adaptando ideias rapidamente. Também significa que as pessoas estão mais conscientes das iniciativas do governo, o que significa que as pessoas estão em melhor posição para reagir ou oferecer apoio conforme necessário.

Eles podem garantir que o governo está gastando de forma a maximizar o impacto social. Ao mesmo tempo, o fluxo livre de dados, incluindo informações de desempenho, pode reduzir as divisões sociais que acontecem estritamente porque as pessoas não têm acesso aos dados.

Isso cria maior equidade e incentiva pessoas de todas as origens e circunstâncias a participarem do desenvolvimento e da mudança de políticas. Isso é essencial para eliminar os pontos cegos do governo e garantir que o governo realmente esteja atendendo às necessidades de todos da melhor maneira possível.

A maioria dos governos supervisionará pessoas em circunstâncias muito diferentes. Mas com essas três etapas, eles serão mais capazes de ouvir as vozes das pessoas ao seu redor e construir um relacionamento centrado na confiança que beneficia toda a sociedade.

Traduzido e adaptado por equipe Autônomo Brasil

Fonte: Entrepreneur

ANÚNCIO