6 estratégias que impulsionam o crescimento dos negócios

ANÚNCIO

Existem inúmeras diferenças entre as abordagens naturais de homens e mulheres para a liderança. Para realmente entender essas diferenças, vamos dar uma olhada na equipe fundadora feminina da Globalization Partners e ver como sua abordagem andrógina à cultura da empresa resultou no crescimento da empresa de zero a mais de US $ 17 milhões em receita anual com negócios realizados em mais de 150 países em apenas três anos.

Aqui estão seis estratégias que eles usaram para impulsionar seu crescimento.

ANÚNCIO

Uma cultura inclusiva não apóia a empresa – ela a impulsiona

Algumas feministas podem comemorar o fato de que as mulheres representam 75% da força de trabalho dos Parceiros da Globalização. A CEO e fundadora Nicole Sahin realmente quer que esse número diminua para cerca de 50%.

Esta não é uma questão filosófica ou moral, mas um objetivo estratégico. A empresa revolucionou seu setor em parte porque sua equipe fundadora composta apenas por mulheres trouxe uma perspectiva radicalmente diferente para o mercado.

Mas, essas mesmas mulheres sabem que para permanecer inovadoras, elas devem continuar a se empenhar por uma empresa que compreende perspectivas, experiências e conjuntos de habilidades variados. A diversidade não faz muito, mas a inclusão pode ser incrível.

ANÚNCIO

Quando uma nova contratação chega a bordo, Nicole começa a construir um relacionamento pessoal com eles. Ela não apenas deseja ouvir suas ideias e obter novos insights, como também deseja que eles se sintam bem-vindos e uma adição valiosa à estrutura geral da empresa. Em suma, ela quer que eles saibam que sua perspectiva diversa não é apenas permitida, mas esperada.

Objetivo e lucro andam de mãos dadas

Globalization Partners é uma organização de empregadores profissionais: Eles ajudam as empresas a contratar funcionários estrangeiros rapidamente. Mas, quando conversei com a equipe de liderança sobre por que eles fazem isso, a conversa mudou rapidamente de dinheiro para significado. Eles sentiram que criaram e facilitaram relacionamentos através de fronteiras e limites.

Nicole disse: “Por meio do comércio global, vem a paz.”Ecoando seu sentimento, a conselheira geral Nancy Cremins disse: “É difícil ir à guerra contra seu colega de equipe ou alguém que você valoriza e que trabalha para você”. Não se trata apenas de obter lucro ou ganhar participação de mercado, mas de realizar algo que valha a pena ao fazê-lo.

Pense nisso, então corra o risco

Apesar de estar em meio a esse crescimento fenomenal, Nicole tomou a decisão de parar de receber novos clientes por vários meses.

Para qualquer startup de alto crescimento, isso é simplesmente impensável. Porém, a equipe de liderança da Globalization Partners estava preocupada com o fato de que as operações que levaram ao seu sucesso poderiam não ser sustentáveis ​​à medida que cresciam. Então, eles pararam de assumir novos negócios, continuaram a atender seus clientes existentes e se concentraram em construir uma estrutura para o futuro. Acabou sendo a escolha certa.

Este é um exemplo clássico das diferenças entre homens e mulheres: os homens veem as barreiras comerciais como obstáculos, enquanto as mulheres muitas vezes as veem como oportunidades. Percebendo que não tinha uma estrutura escalonável, a equipe permitiu que o desafio se tornasse o catalisador de que precisava para recuar, reformular seu modelo de negócios e, em seguida, voltar à briga.

Uma equipe dominada por homens provavelmente teria seguido a abordagem tradicional de uma startup de alto crescimento: “Vamos construir o avião enquanto o pilotamos.” A falta de operações escaláveis ​​seria simplesmente um problema a ser corrigido, não uma oportunidade a ser aproveitada.

6 Strategies That Drive Business Growth
Foto: (Reprodução/Internet)

Não contrate um funcionário; contratar uma pessoa

A Globalization Partners abraça o conceito de integração de toda a vida. Eles não lidam apenas com a pessoa que aparece no escritório, mas se esforçam para oferecer um emprego que abra espaço para o resto da vida do funcionário.

Horários flexíveis, férias familiares generosas, um programa de reentrada inteligente para novos pais – este lugar é o nirvana para mulheres que desejam ter sucesso na vida e nos negócios ao mesmo tempo. Ao tomar decisões de negócios, a equipe executiva considera não apenas o que é melhor para a empresa, mas também o que funciona para as pessoas que a compõem.

Invista no futuro investindo nas pessoas

Quase caí da cadeira quando Nicole me disse que é política da empresa estender um ano sabático remunerado – incluindo viagens internacionais totalmente pagas – aos funcionários após cinco anos de serviço.“Viajar pelo mundo com meu marido, conhecer pessoas que eram tão diferentes de mim mudou minha vida. Quero que meus funcionários também possam vivenciar isso com suas famílias”, explicou ela.

Veja também: Faça a si mesmo estas 5 perguntas

As decisões executivas são relacionais, não lineares

Em vez do ethos inspirado na The Lean Startup de começar o mais pequeno e o mais rápido possível, Nicole passou um ano viajando pelo mundo para descobrir o modelo de negócios dos Parceiros de Globalização.

Claro, nem todo mundo pode tirar um ano de folga e ser um jet-setter. Essa não é a questão. Ela não criou um produto minimamente viável, não o vendeu, viu o que funcionou e, em seguida, girou e repetiu novamente. Ou seja, ela não começou no ponto A, foi para o ponto B e atingiu o ponto C.

Em vez disso, ela começou fora de si mesma. Ela conversou com clientes, fornecedores, parceiros e funcionários em potencial em todo o mundo. Ela levou várias perspectivas em consideração e então criou uma empresa que trabalharia com todas elas.

Esse tipo de pensamento – não “Onde estamos e para onde queremos ir?” mas “O que nossos stakeholders precisam e como podemos fornecer?” – tornou possível sua viagem fantasticamente lucrativa e divertida.

Traduzido e adaptado por equipe Autônomo Brasil

Fonte: Entrepreneur 

ANÚNCIO