Confira a lista dos 3 maiores empreendedores bilionários que iniciaram apostando em pequenos negócios

ANÚNCIO

Atualmente, a lista de empreendedores que existem no mercado brasileiro é enorme. Porém, somente alguns conseguem tornaram-se multimilionários, porque sabem investir em pequenos negócios. Um grande exemplo de empreendedor brasileiro que começou do zero, é o famoso Silvio Santos.

Aqui no Brasil, temos diversas histórias de pessoas que viviam na pobreza, sem acesso à educação e oportunidades, e de repente apostaram em pequenos negócios e ficaram bilionários. Porém, antes do investimento vem o estudo, estes empreendedores já tinham um conhecimento pré-estabelecido do mercado.

ANÚNCIO

As histórias destes bilionários, inspiram vários microempreendedores que estão começando. Para crescer com um bom negócio, não é necessário ter uma boa graduação ou pós graduação, é necessário ter conhecimento de investimento. Neste artigo, veja os 3 maiores empreendedores que investiram em pequenos negócios e são bilionários hoje.

Confira a lista dos 3 maiores empreendedores bilionários que iniciaram apostando em pequenos negócios
Fonte: (Reprodução/Internet)

Conheça os 3 maiores empreendedores bilionários que investiram pouco.

A história de Kalpana Saroj

A história de Saroj é inspiradora, porém não é rara. A maioria dos atuais bilionários sofreram algum tipo de choque de pensamentos. São pessoas que viviam com a simplicidade até que em certo momento de suas vidas tiveram grandes ideias.

ANÚNCIO

O “despertar” permitiu que os grandes empreendedores fizessem uma relação do trabalho com o empreendedorismo. Geralmente, esse fluxo de consciência acontece em momentos difíceis da vida como: tragédias familiares, acidentes, doenças, crises econômicas, morte e desemprego.

Depois de passar por tantos momentos difíceis. Kalpana Saoja é dona de diversas empresas, como as de microcrédito e mineração. Tendo consciência de toda sua trajetória, Kalpana também oferece oportunidades aos microempreendedores. A empresa, já ofertou emprego para milhares de indianos. Caso se interesse pela trajetória empreendedora, leia a matéria completa na BBC.

Edson Bueno, de engraxate a bilionário

Edson Bueno, dono da marca Amil, já teve seus dias de dificuldade. A infância de Bueno não foi como a de todas as crianças, quando pequeno trabalhava como engraxate no interior paulista, Guarantã. Na escola, o pequeno Edson tinha dificuldades de aprendizagem e teve que repetir quatro vezes a quarta série.

O choque de realidade se deu quando Bueno conheceu o médico de sua pequena cidade. A partir disso, o menino obteve uma paixão imensa pela profissão. Superando os obstáculos da vida, Edson formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Depois de formado, conseguiu um emprego no Hospital São José, em Duque de Caxias.

Porém, o hospital atrasava seu pagamento constantemente, com isso o empreendedor pensou uma forma de ganhar com isso. Então, o médico negociou com o hospital, sugerindo ao dono que o pagasse com cotas de participação. Um tempo depois, Edson deixou de ser empregado e tornou-se sócio da instituição, que se tornou o embrião da Amil.

Howard Schultz, os dias de fome foram embora

Confira a lista dos 3 maiores empreendedores bilionários que iniciaram apostando em pequenos negócios
Fonte: reprodução/internet

A infância de Schultz nunca foi fácil, quando pequeno perdeu seu pai para um acidente de carro. Com isso, passou grandes dificuldades financeiras com sua mãe e seus irmãos. A mãe de Howard Schultz, com tanta responsabilidade teve que fazer empréstimos bancários para sustentar a família.

Mesmo com tanta dificuldade, a mãe de Howard nunca deixou o menino largar os estudos para trabalhar. Anos se passaram, e o jovem Schultz conseguiu uma bolsa na universidade. Na faculdade, o estudante sempre tinha costume de tomar café em uma cafeteria chamada “Starbucks”.

A cafeteria era pequena, com apenas 3 lojas, mas Schultz via a potencialidade do negócio. A partir disso, o jovem estudante candidatou-se a uma vaga de trabalho na Starbucks. Acabou conhecendo o dono da empresa, e se destacou e passou a ser gerente de setor. Porém, um tempo depois o universitário foi demitido por conta das suas ideias de inovação.

O início de um sonho

Mesmo desempregado, o microempreendedor não desistiu de seus sonhos e acabou criando sua própria cafeteria, chamada “Il Giornale”. A empresa no começo não fez tanto sucesso, porém com ajuda de alguns investidores, Schultz conseguiu subir o negócio e dois anos depois comprou a franquia do Starbucks.

ANÚNCIO