Empreendedorismo pós pandemia conheça as perspectivas para o futuro

ANÚNCIO

Já era possível ver algumas lojas passando por crises antes da pandemia, agora já é nítido que a crise piorou. Lojas renomadas, como a Zara e a Starbucks encerram centenas de franquias pelo mundo. Também microempresas que necessitavam do movimento diário encerram suas atividades.

A realidade se tornou outra para os brasileiros. Infelizmente, o antigo mercado pode não existir mais, os tempos mudaram e é necessário conhecer nova perspectiva para o futuro. Profissionais que necessitavam ir aos seus escritórios para trabalhar, hoje estão trabalhando remotamente.

ANÚNCIO

Com isso, é possível ver que cargos remotos serão a nova tendência pós-pandemia. Por esse lado, a sociedade contemporânea aumentou o portfólio de soluções digitais, sem perder a essência. Conhecer as tendências para o futuro do empreendedorismo é uma forma de se organizar para o amanhã.

Empreendedorismo pós pandemia conheça as perspectivas para o futuro
Fonte: (Reprodução/Internet)

Conheça 5 perspectivas para o futuro do empreendedorismo pós pandemia.

As tendências para o período pós-pandemia.

Negócios de grande, médio e pequeno porte estão procurando formas inteligentes de recuperar seus negócios depois da pandemia. Diante disso, é de extrema urgência que os empreendedores estudem o mercado do futuro. Assim, estarão preparados e chance da caimento é mínima.

ANÚNCIO

Já existem tipos de empreendimentos na crise que estão ganhando destaque no meio dos negócios. O tipo de procedimento e alternativas para o desenvolvimento das atividades de cada setor mesmo em um cenário como esse, continua exigindo dos empresários uma adaptação a novos modelos.

Trabalho remoto

O trabalho remoto, ou home office, era visto como algo empresarial, porém nos novos tempos a ideia foi desconstruída e passou a ser utilizada em mais cargos. Algumas firmas, optaram por esse tipo de serviço para segurança de seus funcionários.

A ideia desse, que não é um novo método, é válida para o empreendedorismo do futuro. O home office que salvou algumas empresas da falência. Dependendo da cooperadora, não foi possível adotar o método por conta dos cargos.

Um exemplo pode ser as lojas de departamentos de roupas, os atendentes de loja não conseguem trabalhar remotamente por conta de suas funções. Algumas companhias já haviam implementado o método, mas outras nem tinham pensado na ideia.

Atividades em plataformas digitais

Um tema muito discutido durante a pandemia, foi a questão sobre educação online, ou o ensino à distância. A questão é odiada por uns, porém adoradas por outros. O método já era utilizado em faculdades, porém recentemente foi inserido por universidades públicas e escolas de ensino primário, fundamental e médio.

Nos centros educacionais públicos, foi uma novidade para todos. Com isso, as plataformas de ensino EAD estão em desenvolvimento. Alguns alunos, relatam que têm certa dificuldade no aprendizado online. Por isso, é importante que os empreendedores da educação foquem em ferramentas facilitadoras de aprendizado.

Apesar do normal dos empreendedores ser o investimento no método Treinamento e Desenvolvimento (T&D), a nova estratégia abrirá portas para jornadas de conhecimento eficazes aos estudantes. Assim, será possível que as pessoas construam sua rotina de acordo com sua disponibilidade.

Migrando o negócio para internet

Em pesquisa, a Consultoria Kantar, confirmou que as buscas relacionadas a cursos online e serviços, aumentaram 35%. Com isso, é importante que o empreendedor invista em serviços online para seus clientes.

Por exemplo, um psicólogo que atende em seu consultório, poderá investir em uma plataforma que dê a possibilidade de consultas online. Existirão serviços que atenderão todo Brasil, assim o cliente não precisará deslocar-se de sua casa para realizar a consulta.

Já existem aplicativos que ajudam no “distanciamento social”, como o Rappi, iFood e Uber Eats. Porém, uma tendência possível é um serviço delivery por ferramentas digitais.

Minimalismo empresarial

O minimalismo não é um movimento atual, já vem sendo visado por vários empresas antes mesmo da pandemia. Ele pode ser utilizado em várias áreas, organização, gestão empresarial, criação de arte e outros. Porém, para aplicá-lo no negócio, o empreendedor deve saber como introduzir no mercado.

Geralmente, esse movimento visa facilitar a vida do consumidor. Ou seja, algo mais limpo e fácil. Uma ideia pode ser juntar vários serviços em um, assim o cliente não precisará utilizar várias funcionalidades para algo simples. Cada vez mais, as pessoas tomam consciência de que podem fazer muito, com menos.

Setores em desvantagem

Os negócios que ainda adotam modelos tradicionais de vendas, tem um risco maior de decaimento. Com isso, os novos empreendedores estão em uma luta constante para adquirir um novo método de vendas. Por isso, instituições tradicionais devem se atentar à novas táticas de lucro.

“As empresas tradicionais não estão garantidas. Elas precisam se reinventar” afirmou Luis Rasquilha, CEO da Inova Consulting em entrevista para Época Negócios. Segundo o CEO, os setores que poderão ficam em desvantagens são: automotivo, combustível, negócios imobiliários, turismo e viagem.

ANÚNCIO