Etapas para aumentar sua resiliência

ANÚNCIO

O sucesso de qualquer tipo leva tempo, esforço consistente, fracasso e resiliência. Veja o falecido Louis L’Amour, por exemplo. Ele é considerado o maior contador de histórias da América, com mais de 60 romances publicados – a maioria deles bestsellers.

Em sua autobiografia, Education of a Wandering Man, L’Amour compartilha suas falhas como um emblema de honra. Era um grande emblema também. Uma foto de seu registro de submissões revela inúmeras rejeições. Se L’Amour tivesse se identificado com seus fracassos, ele teria desistido muito antes da grandeza. Em vez disso, ele viu o fracasso como um passo para o sucesso. E ele continuou pisando.

ANÚNCIO

“Eu sabia que haveria um fracasso, só não sabia quanto”, disse L’Amour. Se você lidou com algumas falhas colossais em seu negócio, você está no caminho certo. Continue. Mas se você quiser converter esses fracassos em sucesso, precisa de mais resiliência.

Como eu desenvolvi resiliência.

Nos meus primeiros 24 anos, tive quase tanta resiliência quanto um chip de couve. Recusei-me a tentar qualquer coisa em que não fosse automaticamente bom, e raramente, ou nunca, me coloco na linha. Eu era tão frágil que, se falhasse, significava que era um fracasso. Por causa do meu medo de falhar, eu era totalmente dependente de meus pais, o que só alimentava o medo.

Mas, na casa dos vinte anos, percebi que só poderia ser feliz se sustentasse a mim mesma. Então eu confrontei meus demônios. Eu vi o quão frágil eu havia me tornado e planejei me tornar mais resistente.

ANÚNCIO

Ao estudar especialistas como Brené Brown e Josh Waitzkin, aprendi que a resiliência vem através da celebração do esforço, não dos resultados. Esse conceito entrava em conflito com minha atitude perfeccionista. Eu não estava acostumada a treinar a mim mesma, e a ideia de pensamento positivo parecia risível, considerando minha falta de sucesso.

Mas que escolha eu tive? Eu não poderia surfar sofás para sempre. Então, comecei minha própria rotina de resiliência de três etapas.

1. Afirmações e encorajamento.

Todas as manhãs, eu me olhava no espelho e dizia em voz alta todas as coisas boas que via ou queria ser. Listei todas as coisas que sabia que realizaria. Parabenizei-me pelo esforço que fiz na véspera, independentemente do resultado. E eu me dei permissão para falhar.

2. Comecei um planejador diário.

Anotei todas as metas que queria alcançar em uma semana e me dei diretrizes diárias para alcançá-las. Quando marcava uma conquista, por menor que fosse, inundava-me de incentivos pelo esforço, pela consistência e pela persistência que demonstrava.

Em vez de depender dos resultados para motivação, confiei em meu próprio incentivo e na lista de verificação de realizações que me dizia que estava tendo sucesso. Decidi depender das coisas que podia controlar.

7 Keys to Developing Resilience
Foto: (Reprodução/Internet)

3. Adotei um diário noturno.

Usei um diário para refletir e dissecar meu esforço diário. Elogiei a energia que coloquei para ter sucesso, observando os pensamentos e ações importantes que me ajudaram. Refleti sobre como minha atitude afetou meus esforços e o que poderia fazer para mudar minha atitude.

Eu também escrevi sobre onde não dei o meu melhor. Mas, em vez de focar no negativo, me apreciei da mesma forma, disse a mim mesmo como me sairia muito melhor no dia seguinte e fiz planos específicos para isso. Cada diretiva que eu criei por meio do registro no diário foi alimentada de volta em minha agenda para que eu pudesse melhorar no dia seguinte.

A resiliência me deu independência.

Minha rotina de resiliência obliterou a mentalidade frágil que me segurava. Peguei uma folha da L’Amour e comecei minha própria lista de rejeição. Cada carta “obrigado, mas você é péssimo” que recebi significava que eu estava um passo mais perto dos resultados. Então, como L’Amour, eu continuei pisando. (Ao contrário de L’Amour, ainda estou esperando meu 60º best-seller.)

Quanto mais elogiava meu esforço, mais coragem tinha para entrar na arena e enfrentar o fracasso. E falhei com estilo. Recebi rejeição após rejeição de todos os grandes sites, incluindo este. Cartas de consulta para novos clientes ficaram sem resposta ou rejeitadas.

Houve até pessoas que se ofenderam com minhas tentativas de ter sucesso. Mas, ao contrário do meu antigo eu frágil, continuei. Eu comemorei o fracasso. Cada vez que escolhi aplaudir meu esforço em vez de insistir nos erros, tornei-me mais resistente.

Um ano depois de adotar uma prática de resiliência, passei de um garoto surfista de sofá à deriva para um homem independente, um escritor – publicado nos melhores sites do mundo – e um colaborador da minha comunidade empresarial local.

Minha prática de resiliência me deu uma força interior que me ajudou a ter sucesso não apenas como empresário, mas também como atleta, amigo, irmão, tio, modelo e filho.

Veja também: Se você quer ter sucesso, planeje fracassar

Conclusão

Você está onde deseja estar profissionalmente? Você é capaz de correr riscos? Se não, comece sua rotina de resiliência hoje.

Faça as afirmações de que precisa. Anime-se do amanhecer ao anoitecer. Planeje seu dia, celebrando seus esforços conforme você alcança. E reflita sobre o seu dia todas as noites com um diário, avaliando o que você fez certo e onde pode fazer melhor. Incentive-se. Assumir riscos. Aceite o fracasso. E abraçar o sucesso.

Traduzido e adaptado por equipe Autônomo Brasil

Fonte: Entrepreneur 

ANÚNCIO