O poder da colaboração e da tensão criativa

ANÚNCIO

Como fundador, você tem muitas ideias fortes, e o trabalho realizado em sua empresa é feito a serviço dessas ideias, ou pelo menos uma grande ideia que informa sua missão. A equipe construída em torno de você é escolhida por suas habilidades para apoiar sua visão, e cada decisão tomada tem pelo menos um olho voltado para esse objetivo abrangente.

Muitos empreendedores escolhem o caminho do fundador precisamente pela razão de que desejam seguir sua visão sem o peso de ninguém além de si mesmos, mas precisamos de resistência e dissidência para fazer nosso melhor trabalho?

ANÚNCIO

O processo colaborativo significa coisas diferentes para pessoas diferentes; para alguns, é menos um esforço de equipe do que uma batalha de vontades, uma competição para ver quem pode impor suas idéias ao resto do grupo. Outros vêem isso como o trabalho de sintetizar muitas opiniões e idéias em um todo convincente.

Sua visão sobre colaboração pode depender da força de sua opinião e de sua necessidade de conseguir o que quer, mas é difícil argumentar que trabalhar com outras pessoas não é, em última análise, um benefício líquido para qualquer projeto, por isso vale a pena considerar até mesmo o mais importante níveis do seu negócio.

Todos somos culpados de nos apaixonarmos por nossas próprias ideias, a ponto de perdermos a objetividade quanto aos seus méritos. Para muitas pessoas, há pessoas por perto para informá-los de que sua ideia é totalmente ruim, ou pelo menos requer alguns ajustes e iterações antes de se tornar algo viável. Estar no topo do organograma é uma posição mais precária para esse problema específico.

ANÚNCIO

Embora você possa ter funcionários que oferecem feedback, é igualmente provável que você não ouça opiniões honestas sobre suas ideias de pessoas com medo de ofender o chefe. É preciso imaginar quantas ideias terríveis foram totalmente implementadas simplesmente porque ninguém foi capaz ou teve vontade de apontar falhas.

Provavelmente perpetuando esse problema está a ideia romantizada do gênio singular, que guia sua empresa para um sucesso inimaginável. Todos nós já lemos o suficiente sobre essas empresas para acreditar que precisamos fazer nossa própria imitação desse ato, ou pelo menos adotar a noção de que não podemos falhar, mas apenas sermos falhados por aqueles ao nosso redor.

A verdade simples é que não somos gênios – essas pessoas são como empresas de unicórnios, poucas e distantes entre si. Mas isso não significa que não possamos ter sucesso, desde que lembremos que não sabemos tudo e que tudo que sai de nossa boca ou sai de nosso cérebro não é ouro maciço.

Frustrated millennial female worker felling tired of working quarreling.
Foto: (Reprodução/Internet)

Trabalhar verdadeiramente com os outros significa estar disposto a dar e receber conforme necessário para o bem maior do projeto em questão. Qualquer um pode submeter os outros à submissão até que eles concordem que sua ideia é superior, principalmente se você estiver no comando.

Mas é preciso uma dedicação genuína à ideia em si, ao invés de seu próprio ego, para permitir que outros ajustem e alterem sua ideia em algo que será, no final das contas, melhor para as múltiplas perspectivas apresentadas a ela.

Mesmo que você tenha confiança genuína no brilhantismo de sua ideia, o escrutínio adicionado não fará nada para diminuí-la; em vez disso, você se sentirá muito mais confiante por ter conquistado os membros da equipe que você respeita e confia.

A colaboração também deve ser um processo contínuo. Não há nada como o sucesso para fazer você perder de vista os ideais que antes se apegava, e o sucesso pode gerar confiança que elimina a contribuição de outros, se você permitir.

E nossas tendências naturais nos levarão a trabalhar em nossas próprias coisas e protegê-las de influências externas – afinal, essa é parte da razão pela qual muitos de nós começamos nossos próprios negócios. É por isso que temos que fazer um esforço consciente para trazer outras pessoas para o nosso trabalho para garantir que as melhores ideias sejam vencidas.

Ninguém gosta especialmente de ter suas idéias investigadas e dissecadas por outros; para alguns, pode ser um golpe para o orgulho e ego ouvir uma crítica sobre o que você trabalhou duro e, por essa razão, muitas pessoas não trabalham colaborativamente ou não contribuem com suas ideias para um projeto em grupo .

Veja também: 7 maneiras de se tornar um editor melhor 

Mas cada esforço e cada empresa são melhores para as muitas e variadas vozes que oferecem sua própria perspectiva única que pode não ter sido considerada de outra forma, ou seu próprio brilho particular que torna uma coisa boa ainda melhor. Trabalhar juntos na elaboração de ideias, e não apenas na implementação, garante que você obtenha o melhor resultado para você e nossa empresa.

Traduzido e adaptado por equipe Autônomo Brasil

Fonte: Forbes 

ANÚNCIO