Por que fazer os outros se sentirem importantes o deixará mais feliz e mais bem-sucedido

ANÚNCIO

Um dos muitos contos de The Arabian Nights conta a história de uma caverna do tesouro que só poderia ser aberta se a pessoa dissesse as palavras mágicas, “Open Sesame!” Com aquele som, a vasta parede se moveria para o lado, e tesouros ilimitados seriam revelados, disponíveis para a pessoa que havia pronunciado as palavras mágicas.
Relacionado: 7 etapas para desenvolver os hábitos de sucesso

Ao colocar as pessoas em primeiro lugar, o “Open Sesame!” das relações humanas é “fazer os outros se sentirem importantes”. Fazer os outros se sentirem importantes satisfaz os anseios subconscientes mais profundos da natureza humana.

ANÚNCIO

Às vezes eu pergunto ao meu público: “Qual porcentagem do tempo as pessoas são emocionais e qual porcentagem do tempo as pessoas são lógicas?” Eles respondem com várias respostas e proporções. Mas a verdadeira resposta é que as pessoas são 100% emocionais. As pessoas decidem emocionalmente e depois justificam logicamente. Mas a emoção vem primeiro.

Quando se trata de suas emoções, a regra é mais uma vez “Tudo conta!” Tudo o que acontece em sua vida afeta você emocionalmente de alguma forma. Tudo o que o afeta o deixa feliz ou triste, motivado ou desmotivado, amoroso ou zangado, temeroso ou confiante. Nada é neutro.

Destemido e espontâneo

Os bebês vêm ao mundo sem nenhum medo – eles não têm medo e são espontâneos. Quase todo medo que uma pessoa tem quando adulta foi ensinado a ela quando criança, principalmente como resultado de críticas destrutivas, castigo físico ou rejeição do amor de nossos pais.

ANÚNCIO

Como essa perda de amor é tão traumática para nós, crianças, perdemos nosso destemor e espontaneidade e, em vez disso, nos conformamos com o que pensamos que eles querem para que estejamos seguros. O pior sentimento de todos é “Eu não sou bom o suficiente.”

Quando crianças, somos facilmente suscetíveis às influências negativas de pessoas importantes em nossas vidas. Portanto, quando nossos pais nos punem, nos criticam ou dizem coisas negativas para nós ou sobre nós, aceitamos suas declarações como avaliações válidas de quem realmente somos. Não temos capacidade para discriminar, questionar ou rejeitar suas palavras e o tratamento que dispensam a nós. Estamos indefesos.

Como adultos, continuamos a ter dúvidas, medos e receios que estão enraizados na primeira infância. Quase qualquer experiência negativa pode desencadear as velhas emoções, como hábitos que se infiltraram em nossa mente subconsciente, nunca realmente desaparecendo.

Torne-se um especialista em relacionamento

Por outro lado, porque somos principalmente emocionais, somos positivamente afetados por pessoas que dizem e fazem coisas que nos fazem sentir importantes e valiosos. Tudo o que uma pessoa faz ou diz que aumenta nossa auto-estima faz com que gostemos e nos respeitemos mais. Como resultado, nos sentimos positivos em relação à pessoa que está fazendo com que nos sintamos melhor conosco.

Why Making Others Feel Important Will Make You Happier and More Successful
Foto: (Reprodução/Internet)

Seu trabalho é se tornar um “especialista em relacionamentos”, desenvolvendo hábitos de falar e agir que fazem as pessoas se sentirem importantes e valiosas. Quando você desenvolve o hábito de fazer e dizer coisas que fazem as pessoas se sentirem bem consigo mesmas, com suas vidas, seu trabalho e suas famílias, todos os tipos de portas se abrirão para você.

As pessoas vão gostar e respeitar você e querer estar perto de você. Eles vão querer contratá-lo, promovê-lo, trabalhar para você e comprar de você. Eles aceitarão sua influência e liderança e lhe darão poder em seu trabalho e na comunidade.

Pratique a regra de ouro

O ponto de partida para se tornar um especialista em relacionamentos é desenvolver o hábito de praticar a regra de ouro em tudo que você faz com todas as pessoas que encontra. A regra de ouro, que é o princípio que a maioria das religiões tem em comum, diz: “Faça aos outros o que gostaria que fizessem a você.”

Ver também: Pelo o que você quer ser conhecido?

No budismo, está escrito: “Não machuque os outros com aquilo que machuca a si mesmo.” Este princípio é tão simples – mas tão poderoso – que se todos o aplicassem, o mundo se transformaria da noite para o dia.

O filósofo alemão Immanuel Kant uma vez propôs o que chamou de “máxima universal”. Ele disse: “Viva sua vida como se cada ato seu se tornasse uma lei universal para todas as pessoas”. Em outras palavras, imagine que todos fariam e diriam exatamente as coisas que você está fazendo e dizendo naquele momento. Isso seria uma coisa boa ou ruim?

Quando você define esse tipo de padrão para si mesmo, começa a transformar sua vida. Você imediatamente se torna uma pessoa melhor.

Traduzido e adaptado por equipe Autônomo Brasil

Fonte: Entrepreneur 

ANÚNCIO