Por que os CEOs precisam de uma estratégia de aquisição de talentos

ANÚNCIO

O CEO é a figura de autoridade dentro de uma organização, muitas vezes tendo a palavra final sobre quais projetos receberão luz verde, onde investir e como levar o negócio adiante. Mas os CEOs visionários se veem de maneira diferente.

Na economia global hipercompetitiva de hoje, o aspecto mais crítico de uma empresa para inovar e crescer está em sua capacidade de atrair e reter as pessoas certas para ajudar a realizar o futuro. O planejamento estratégico agressivo transforma a mentalidade de um CEO tradicional na de um CHRO, ou Diretor de Recursos Humanos, que age investindo nos melhores métodos para vencer a guerra pelos melhores talentos.

ANÚNCIO

A aquisição de talentos precisa de seu próprio pacote de software

Os CEOs são responsáveis ​​por construir uma base de clientes e aumentar as vendas, a força vital dos negócios. Nos últimos anos, as empresas investiram pesadamente em tecnologia, como software de gerenciamento de relacionamento com o cliente (CRM), para criar conexões significativas com o cliente e, ao mesmo tempo, otimizar os processos de negócios.

Enquanto bilhões são gastos em software de CRM para promover conexões autênticas e baseadas em valor com os clientes, quando se trata de talentos e contratações, muitas organizações continuam a usar tecnologia desatualizada não projetada para a função mais crítica – o recrutamento.

Na pesquisa de digitalização da McKinsey de 2014, foi relatado que os líderes empresariais classificaram o envolvimento do cliente como sua principal prioridade estratégica tecnológica. Nenhuma surpresa real nisso. Ainda assim, os mesmos executivos relataram que seus maiores obstáculos estão relacionados à aquisição de talentos.

ANÚNCIO

Hoje, as organizações com visão de futuro percebem que para atrair talentos-chave e prosperar em um cenário de candidatos vasto, acelerado e conhecedor de tecnologia, elas precisam abraçar novas tecnologias de aquisição de talentos. Essas organizações percebem que a nova geração de CRM é o gerenciamento de relacionamento com o candidato, uma forma de marketing de recrutamento. Precisa ser um imperativo de negócio principal.

Eight in 10 experience planning failure for Solvency II | The Actuary
Foto: (Reprodução/Internet)

Pense primeiro no talento

Fazer com que as pessoas certas inovem e desenvolvam os negócios é mais importante para atingir as metas gerais do que qualquer outra parte de um plano de negócios. As pessoas são um dos maiores, senão o maior investimento que uma empresa faz. Contratações medíocres e ruins, bem como a rotatividade resultante de um recrutamento ineficaz, custam dinheiro, tempo e recursos à empresa.

As empresas muitas vezes tratam os recursos humanos como uma reflexão posterior administrativa na estratégia de negócios. Líderes inteligentes que inovam além de seus concorrentes, priorizam a aquisição de talentos como um jogo de longo prazo e não uma transação no momento da necessidade.

As estratégias de recrutamento também oferecem às empresas flexibilidade para expandir seus negócios ao longo do tempo. Se o RH tiver uma visão inicial da visão de curto e longo prazo da empresa, eles podem planejar o suporte a todas as áreas do negócio.

Com planejamento de negócios, investimentos e recursos, talento e tecnologia são sinônimos na maneira como os CEOs precisam lidar com sua estratégia de recrutamento. Freqüentemente, nos concentramos exclusivamente na competição por clientes e não na competição por talentos. Para ter sucesso, os CEOs precisam levar adiante sua preocupação com talentos cruciais.

Ver também: Como reiniciar um dia de trabalho ruim

Ao pensar como um CHRO, os CEOs podem finalmente projetar as estratégias certas e os processos focados em tecnologia para cultivar seu ativo mais importante: seu pessoal.

Traduzido e adaptado por equipe Autônomo Brasil

Fonte: Entrepreneur 

ANÚNCIO