Para um melhor trabalho em equipe, deixe as pessoas escolherem com quem trabalharão

ANÚNCIO

Da próxima vez que um projeto exigir que seus colegas se dividam em equipes, considere deixá-los escolher por si próprios quem são seus colaboradores.

Pesquisadores da Ohio State University, da University of Michigan e da University of South Carolina decidiram recentemente determinar o que faz as pessoas cooperarem bem – especialmente porque a evolução coloca os seres uns contra os outros e a cooperação humana se opõe a esse instinto.

ANÚNCIO

Eles descobriram que as equipes prosperam quando os membros têm a capacidade de escolher com quem estão trabalhando. Provavelmente, eles serão mais eficazes em trabalhar com aqueles que já são membros estabelecidos de sua rede.

O estudo, que aparece nos Proceedings of the National Academy of Sciences, pediu a 810 participantes para jogar jogos online juntos. Cada jogador começou com 1.000 unidades de dinheiro que somavam $ 1. Se um jogador estivesse disposto a dar 50 unidades a outro jogador, o destinatário ganharia 100, enquanto o provedor perderia apenas 50.

Alguns jogos eram compostos de grupos aleatórios de pessoas, enquanto outros envolviam pequenos grupos de pessoas conectadas umas às outras, semelhante a como os humanos tendem a se reunir em cenários da vida real.

ANÚNCIO

Dentro de cada um desses dois tipos de arranjos, os pesquisadores permitiram que algumas equipes fossem estáticas, o que significa que não podiam adicionar ou retirar pessoas de suas equipes, e algumas eram dinâmicas, permitindo essa flexibilidade.

For Better Teamwork, Let People Choose Whom They Work With
Foto: (Reprodução/Internet)

Informações sobre a reputação de certos jogadores por compartilhar dinheiro também são levadas em consideração em alguns jogos. No entanto, os pesquisadores descobriram que aqueles com reputação positiva não eram companheiros de equipe mais cobiçados. Os grupos que mais colaboraram jogaram em times com aqueles aos quais estavam conectados e tiveram a capacidade de trocar jogadores em seus times.

Veja também: Benefícios da meditação para um empresário

“O que realmente parece importar é a capacidade de alterar a estrutura de uma rede”, disse o principal autor do estudo, David Melamed, em um resumo das descobertas. “E o padrão de relacionamentos também fez a diferença. Aqueles em um cluster conhecido com múltiplas conexões colaboraram mais, o que parece intuitivo se você pensar em como interagimos no mundo real.”

Embora o estudo tenha sido apoiado pelo Exército dos Estados Unidos para obter insights sobre quais estruturas poderiam promover a competição e frustrar as forças inimigas, Melamed observou que as descobertas também poderiam ser aplicáveis ​​no local de trabalho.

Pode parecer benéfico apresentar colegas que normalmente não interagem para despertar o pensamento interdisciplinar, mas os resultados deste estudo indicam que dar aos colegas de trabalho que têm um relacionamento mútuo a autonomia para formar suas próprias equipes pode render mais resultados.

Traduzido e adaptado por equipe Autônomo Brasil

Fonte: Entrepreneur 

ANÚNCIO